quarta-feira, 13 de abril de 2011

PLENÁRIA DA UNIDOS PRA LUTAR EM EDUCAÇÃO

Dia 03 de abril de 2011 a Unidos pra Lutar em Educação fez uma plenária estadual, para discutir os rumos da campanha salarial em curso na APEOESP, bem como discutir a chapa de Oposição Unificada, para as eleições gerais do sindicato, que ocorrerão dia 09 de junho e da qual a Unidos faz parte. Estiveram presentes cerca de 50 professores (as) da capital, grande São Paulo e interior.

Sobre a campanha salarial, depois de uma exposição da mesa sobre a conjuntura, as intervenções foram todas no sentido de armar a categoria contra as reformas do governo Alckmin (do PSDB, partido que completará 20 anos no governo de SP), e também de análise de como deve proceder nossas intervenções, nas discussões propostas pela secretaria estadual de educação sobre um "novo plano de carreira e salários".

O "novo" secretário de educação Herman Voorwald (ex-reitor da Unesp), num plano populista, chamou a categoria na base para que discutisse esse plano de carreira e, desde então, tem se reunido com com os professores em reuniões de pólo pelo estado inteiro. Serão, ao todo, 15 reuniões onde o secretário tem se comprometido com a categoria, mudanças na carreira, no salário e ns condições de trabalho.

A Unidos pra Lutar tem participado com sua militância dessas reuniões, na perspectiva de criar uma "massa crítica" para alavancar a mobilização. Não temos nenhuma esperança que o governo apresente propostas que vão ao encontro das nossas reivinidações porém, nesse momento, nossa intervenção tem duplo sentido: disputar a consciência dos professores nas reuniões de pólo (combatendo o populismo da secretaria da educação) e trabalhar na base da categoria mobilizando para as assembléias que teremos, no decorrer da campanha salarial.

Não arredaremos o pé das nossas reivindicações: reajuste real de salários; por um plano de carreira discutido verdadeiramente com a base e que atenda nossas reivindicações; diminuição do número de alunos por sala, revogação de todas as leis que instituem a precarização do emprego docente e o mérito na educação pública de São Paulo, fim das terceirizações.

Quanto às eleições na APEOESP, a Unidos pra lutar participa da constituição da chapa "Oposição Unificada", constituindo um bloco no interior dela, juntamente com os companheiros das correntes TLS e Apeoesp na Escola e na Luta (Intersindical). Nossa militância fará tudo para que a chapa tenha um bom resultado nas eleições, defendendo um sindicato combativo, classista e democrático. Combatendo as reformas do governo do estado e o "corpo mole" da direção majoritária da entidade (artsind/PT e CSC/PCdoB) que não é consequente na luta pelas reivindicações da nossa categoria.

A Unidos pra Lutar que conta hoje com 4 diretores na APEOESP e tem trabalho em 15 subsedes, coloca-se a serviço dessa luta no interior do sindicato.

Ao término dos debates, votamos os encaminhamentos dos dois pontos discutidos.

Marcos
UNIDOS PRA LUTAR EM EDUCAÇÃO/SP

Um comentário:

Andréa Solimões disse...

Iniciamos nossa Campanha Salarial 2011 na capital e no Estado, e a luta travada pelos companheiros em São Paulo é uma referência para nós aqui no Pará. Contem com o nosso apoio, sempre UNIDOS PRA LUTAR!