quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

NOTICIÁRIO SINDICAL 005/02/2010

1. RODOVIÁRIOS MANTÊM GREVE NA GRANDE BH
Os rodoviários de Belo Horizonte decidiram em assembléia geral realizada na noite de quarta-feira (24/02) pela continuidade por tempo indeterminado da greve da categoria. Os trabalhadores rejeitaram a proposta da patronal de conceder 4,35% de reajuste salarial. O TRT determinou o funcionamento de 50% da frota sobre multa de R$ 300 mil reais por dia de desobediência. A justiça também determinou o bloqueio de R$ 2 milhões da conta bancária do sindicato. Sem acordo a greve continua mesmo a patronal contratando terceirizados para furar a greve da categoria.

2. SEGUE A GREVE DA GUARDA MUNICIPAL DE CURITIBA
No dia 23-Fev. a atividade do comando de greve da Guarda Municipal de Curitiba foi um ato de protesto em frente à Prefeitura. Até o momento não existe nenhuma proposta da prefeitura que atenda a reivindicação da categoria. A prefeitura alega que 80% do efetivo está paralisado já o Sindicato da categoria (Sismuc) e o comando de greve garantem que os 30% da Lei de Greve está sendo mantido. LUTO PELOS MORTOS, LUTA PELOS VIVOS, Essa era a camisa vestida pelos grevistas da Guarda Municipal de Curitiba no ato público.

3. POLICIA CIVIL DO PARANÁ CONFIRMA GREVE
Os policiais civis do Paraná vão entrar a partir de sábado (27/02) em greve por tempo indeterminado. O SINDIPOL vai cumprir a Lei dos 30% de serviços essenciais. “Vamos atender apenas os casos de extrema necessidade como os locais de homicídio e casos de latrocínio e roubos” informou a assessoria de imprensa da entidade. A categoria exige isonomia salarial com a PM e a contratação de mais servidores. O déficit é de quase três mil profissionais no Estado. Em resposta a mobilização da categoria o governador Roberto Requião tem declarado na imprensa de que se a greve for deflagrada vai demitir todos os grevistas e contratar novos profissionais. Na manhã deste sábado os policiais vão realizar manifestação na BOCA MALDITA, no centro de Curitiba. Também está sendo organizada manifestação no calçadão de Londrina, Norte do Estado.

4. O CLIMA VAI ESQUENTAR
Requião descartou possibilidade de permitir que agentes penitenciários andem armados, a reivindicação consta da pauta da direção do SINDIPOL. O governador afirmou que não negociará com agentes penitenciários nem com policiais civis: “Greve eles não farão; se fizerem, ponho todos eles na rua e abro outro concurso imediatamente”.

5. POLICIA CIVIL DO PIAUÍ EM GREVE
Já dura 11 dias a greve da policia civil do Piauí. Em reunião ocorrida na terça-feira (23/02) entre o comando de greve e a secretaria de segurança pública que contou com a mediação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) pouco se avançou no atendimento da pauta da categoria que é de melhorias salariais e de condições de trabalho. A reunião ocorreu após conflito ‘armado’ entre os grevistas e a policia militar por ocasião da desocupação do prédio do Instituto Médico Legal (IML) em Teresina.

6. POLICIA CIVIL VERSUS POLICIA MILITAR
O Conflito entre policiais civis e militares em decorrência da desocupação do prédio do IML em Teresina resultou em três policiais civis baleados. veja o vídeo: http://www.tvcanal13.com.br/tvonline/policias-civil-e-militar-trocam-tiros-em-the-4807.asp Dentre os feridos estão o policial Domingos Sávio que é diretor da Associação dos Policiais Civis do Estado e o agente José Ferreira da Silva. O autor dos disparas segundo o comando de greve foi o tenente Alves que está sendo denunciado por tentativa de homicídio. O governador Wellington Dias (PT) afirma que não negocia como trabalhadores em greve e solicitou do governo Lula o envio da Força Nacional de Segurança para o Estado.

7. DESOCUPAÇÃO DO PRÉDIO DO IML EM TERESINA
Após o confronto foi liberado o prédio Central do IML. A garantia dada ao comando de greve foi de que o Ministério Público e a OAB/PI irão intermediar as negociações com o governo do Estado.

8. SEPE – RIO DE JANEIRO
As escolas da rede estadual começaram mais um ano letivo com falta de professores. Essa é a avaliação do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe). Só no Ciep Antônio Carlos Mussum, em Ricardo de Albuquerque, todas as séries estão com déficit. Segundo a direção da entidade no ano passado a unidade chegou a ter menos 26 profissionais no quadro. Segundo levantamento o sindicato em 401 escolas, só no município do Rio, o problema é o mesmo. Ao todo faltam 1.403 professores.

9. PROFESSORES PARANÁ
A paralisação das aulas na rede estadual de ensino no dia 16 de março, anunciadas pela APP Sindicato, faz parte do Dia Nacional de Luta convocado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Educação (CNTE), que organiza a mobilização nacional unificada com o propósito de pressionar os governantes para adotar o Piso Salarial Profissional Nacional. O chamado PSPN, instituído em julho de 2008 pelo Governo Federal, determina que profissionais do magistério público da educação básica (professores estaduais e municipais) devem receber no mínimo R$ 950,00 por 40 horas semanais. Porém, a questão encontra-se no Supremo Tribunal Federal por iniciativa conjunta de alguns estados, inclusive do Paraná, o que tem impedido o cumprimento do que determina a lei que instituiu o piso nacional.

10. “VERGONHA” “ESSA SITUAÇÃO É UMA VERGONHA”
É o que afirma a nota distribuída à população pela APP- Sindicato para mobilizar a categoria. “Tem municípios aqui na nossa região que ainda pagam R$ 350,00 a um professor, e aí chega o fim do mês se obrigam a pagar um complemento para não fazer o pagamento abaixo do salário mínimo”, critica o sindicato. Campanha A adesão do Paraná ao Dia Nacional de Luta foi decidida em assembléia realizada no sábado em Curitiba, com a representação de trabalhadores de 21 municípios.

11. PROFESSORES NATAL
Professores recusaram o reajuste de 5% ‘oferecidos’ pela prefeitura. Sendo assim os professores da rede municipal de ensino continuarão, por tempo indeterminado, com a greve que amanhã completa sete dias. O principal impasse ainda é a questão da reposição salarial dos últimos dez anos, pois, enquanto o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Rio Grande do Norte (Sinte RN) não abre mão do índice de 29%, a Prefeitura insiste em dar apenas 5% em abril.

12. PROFESSORES SÃO PAULO
Quatro dias após o retorno das aulas, professores da rede estadual organizam uma greve, marcada para começar no dia 5 de março. Segundo a subsede de Suzano do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), a decisão foi tomada no dia 20, durante reunião promovida pelo Conselho Estadual de Representantes (CER). As principais reivindicações são reajuste salarial de 34,3%, garantia de emprego, plano de carreira e atribuição de aula justa, concursos públicos satisfatórios, incorporação das gratificações e o fim das avaliações excludentes.

13. GREVE NOVO MUNDO EM CUIBÁ
Em greve desde o último dia 10, os trabalhadores da Educação do município de Novo Mundo (791 km de Cuiabá) receberam proposta do secretário de Administração do município. Segundo a assessoria do sindicato “Foi algo, no mínimo, desrespeitoso. Eles propuseram uma jornada de 40 horas em sala de aula com o pagamento no valor de R$ 1.024,00”, destacou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino de Mato Grosso (Sintep/MT), Gilmar Soares Ferreira. De acordo com o sindicalista, o valor contraria a Lei 11.738/2008, que instituiu o Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN), por não incluir os profissionais no Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS).

14. GREVE EDUCAÇÃO BAHIA
A greve dos professores da rede municipal de ensino entra no 17º dia nesta quinta-feira, 25. Em assembléia realizada no Sindicato dos Bancários, na terça, 23, a categoria decidiu manter a paralisação até o próximo o dia 2 de março, quando haverá uma reavaliação do movimento. Nesta segunda, durante o encontro com representantes da Secretaria Municipal de Educação os professores acordaram um cronograma para dar agilidade no processo de implantação do plano de assistência médica dos servidores municipais. Os professores reivindicam um plano de saúde privado, melhores estruturas das escolas e aumento no quadro docente, por meio de concurso público.

15. MÉDICOS NATAL
Na tentativa de aumentar a pressão contra o Governo do Estado na paralisação da categoria, iniciada no último dia nove, o Sindicato dos Médicos (RN) anunciou ontem, através de nota distribuída a imprensa, que os médicos lotados no Hemonorte cruzariam os braços hoje durante 12 horas. A paralisação do Hemonorte aconteceria em conjunto com mais duas unidades: o João Machado e o Centro de Recuperação Infantil. Os médicos, entre outras reivindicações, querem mudanças no plano de cargos e carreiras, a reavaliação da atual tabela de remuneração médica, além da revisão dos valores sobre produtividade. A Secretaria Estadual de Saúde ofereceu um aumento de R$ 1.045 mil para R$ 1,5 mil ao mês, contudo a principal reivindicação da categoria é a implantação do piso salarial de R$ 7 mil.

16. GREVE NO MINISTÉRIO DA FAZENDA EM BRASÍLIA
Os terceirizados da fazenda entraram em greve por tempo indeterminado até que voltem a receber os vales-transportes e alimentação suspensos pela empresa VISUAL LOCAÇÃO DE SERVIÇOS E CONSTRUÇÃO CIVIL desde o início de fevereiro. Muitos desses trabalhadores moram em Goiás e na região do entrono de Brasília e precisam percorrer longas distâncias para chegar ao local de trabalho. Alguns empregados da VISUAL estão tendo que fazer faxina (bicos) em residências nos finais de semana para conseguir dinheiro para trabalhar. Também falta no Ministério água e papel higiênico.

17. PROTESTO CONTRA DEMISSÃO NA ABR, EM SÃO BERNANDO
Os trabalhadores da ABR, em São Bernardo, pararam por duas horas a produção da fabrica e realizaram uma manifestação na entrada do primeiro turno na última sexta-feira (19/02) contra a demissão por justa causa de um trabalhador que reivindicava melhores condições de trabalho e a distribuição de uniformes. Sem reverter à situação os trabalhadores resolveram em assembléia geral suspender a realização de horas-extras e realizar novos protestos até que a empresa reveja a demissão.

18. GREVE NA GRÉCIA
Dezenas de milhares de trabalhadores em greve marcharam pelas ruas de Atenas na quarta-feira para protestar contra os planos de austeridade com vistas a tirar a Grécia de uma crise de débito que tem abalado a zona do euro. A greve geral de 24 horas provocou o cancelamento de vôos e a interrupção de serviços públicos. "Sem sacrifício, os ricos devem pagar pela crise", entoavam os manifestantes durante a marcha que reuniu 20 mil pessoas diante do Parlamento e que, de modo geral, foi pacífica.

19. GREVE FECHA LOJAS DO CARREFOUR NA BÉLGICA
Uma greve em protesto contra cortes de empregos provocou o fechamento de 1/3 dos hipermercados da Carrefour, a segunda maior varejista do mundo, na Bélgica. A greve, realizada um dia após o Carrefour anunciar que 1.672 empregos serão cortados e 21 lojas desativadas em consequência de nova reestruturação da companhia no país, também levou ao fechamento de um quarto dos supermercados da rede. Foram afetadas 18 das 56 principais lojas do Carrefour e 15 dos 61 pontos de vendas menores. Em nota do ESTADÃO sobre o assunto, os três principais sindicatos belgas farão reuniões amanhã para chegar a um acordo sobre um plano comum. Além dos cortes de vagas, o Carrefour pretende congelar os salários dos funcionários restantes.

20. GREVE NA FRANÇA
Acabou a greve nas refinarias da Total na França, à exceção de Dunkerque. Após o acordo alcançado entre os sindicatos e a direção da companhia de petróleo Total, os funcionários da empresa votaram nesta quarta-feira (24/02) pelo final da greve em todas as refinarias da França, à exceção da de Dunkerque (norte), ameaçada de fechamento. Seguindo as instruções da CGT, os funcionários votaram pela volta ao trabalho nas assembleias gerais em cinco refinarias que estavam paralisadas desde quinta-feira passada, apoiando as exigências dos trabalhadores de Dunkerque.

21. A LUTA CONTINUA...
A Total, quinta maior empresa de petróleo do mundo presente em 130 países, com 97.000 operários, assegura o abastecimento de cerca da metade dos postos de combustíveis da França. "É uma suspensão, não é proibido recomeçar. Vamos ficar atentos à reunião do comitê central da empresa, no dia 8 de março", advertiu Christian Coste em nome da intersindical CGT-FO-CFDT da refinaria de La Mède (sul). O compromisso da Total de não fechar ou ceder refinarias na França nos próximos cinco anos não está relacionado à usina de Flandes, próximo a Dunkerque, cujo destino será decidido na reunião de 8 de março.

22. ...NA DUNKERQUE
Nessa refinaria, os funcionários votaram de forma unânime pela manutenção da greve. A refinaria de Dunkerque, que tem 370 operários e 450 funcionários terceirizados, está em greve há um mês e é ocupada por seus trabalhadores desde a semana passada. Segundo a União Francesa de Indústrias de Petróleo (UFIP), a demanda por produtos derivados do petróleo caiu 8,9% na França em dez anos, e entre 10 e 15% das 114 refinarias europeias deverão fechar.

23. TRABALHADORES DA ESPANHA CONTRA REFORMAS NA PREVIDÊNCIA
Começou nesta terça-feira (23/02) as manifestações na Espanha contra uma série de reformas na previdência propostas pelo governo do primeiro-ministro Zapatero. Milhares foram às ruas de Madri, Barcelona e Valência em manifestações convocadas por centrais sindicais como a União Geral dos Trabalhadores (UGT) e a Comisiones Obreras, entre outras. Na quarta-feira, mais cidades espanholas aderiram aos protestos nas ruas de Oviedo, La Rioja e Ceuta. No dia de hoje, os protestos chegaram a mais cidades da região da Andaluzia e, no resto da semana, as manifestações deverão atingir também Palma de Mallorca e Bilbao.

24. DIREITO NÃO SE REDUZ, AMPLI-SE
Esta é a primeira vez que o governo do primeiro-ministro Zapatero enfrenta manifestações das centrais sindicais, que esperam reunir centenas de milhares de pessoas. O jornal El País, em artigo publicado durante o fim de semana, afirma que "o namoro acabou", lembrando que outras manifestações contra o governo já foram realizadas, mas acrescentando que antes elas eram contra a crise econômica. De acordo com o jornal, as manifestações desta semana serão contra algo mais concreto: a proposta de reforma na previdência social feita por Zapatero, que, entre outras coisas, pretende mudar a idade mínima de aposentadoria dos atuais 65 anos para 67 anos, para tentar garantir a estabilidade da previdência espanhola no longo prazo.

25. FÁBRICAS DA FIAT PARADAS NA ITÁLIA
Seis fábricas do Grupo Fiat na Itália estão fechadas a partir da segunda-feira, 22, e só voltarão a operar em 7 de março, de acordo com a agência BBC. 30 mil funcionários, cerca de metade da força de trabalho da fabricante, serão afetados. Houve protestos durante o fim de semana e o sindicato pediu reunião com a direção da empresa e o governo para discutir o futuro. As fábricas afetadas ficam em Roma, Turim, Nápoles e Sicília, sendo cinco de propriedade da Fiat e uma parte de joint-venture com a Peugeot.

CONTRIBUIÇÕES E NOTAS DEVEM SER ENVIADAS
e-mail: unidospralutar@ymail.com

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

NOTICIÁRIO SINDICAL 004/02/2010

1. GREVE NA GUARDA MUNICIPAL DE VITÓRIA – ES

Entra na segunda semana a greve dos agentes de trânsito e de segurança comunitária da Guarda Municipal de Vitória (ES). A Prefeitura petista entrou na justiça pedindo a ilegalidade do movimento que é coordenado pelo Sindicato dos Servidores Municipais (SINDSMUVI) pelo Sindicato dos Agentes de Trânsito e Guardas Municipais (SIGMATES).

2. INSATISFAÇÃO DA GUARDA MUNICIPAL
O salário bruto da Guarda Municipal de Vitória atualmente é de R$ 1.213,42. Os agentes recebem 20% sobre este valor a título de gratificação de risco de vida, o que equivale a mais R$ 242,68. O índice de gratificação (que equivale a 20% do salário) está congelado há quatro anos. A Guarda Municipal desempenha um papel de polícia e, se comparado ao atual salário base de um soldado da PM, a defasagem salarial chega a 50%. Há quatro anos, o salário inicial de um soldado era menor que o dos agentes da Guarda. Enquanto o governo investiu na remuneração dos policiais, a PMV seguiu o caminho oposto e hoje oferece condições mínimas de trabalho, não compatíveis à atuação da Guarda. Segundo dados da própria administração da PMV, uma pesquisa realizada em 2005 demonstrou que 80% do efetivo da Guarda haviam concluído o nível superior de ensino e destes 40% eram pós-graduados. O Plano de Cargos e Salários proposto pela prefeitura não contempla a categoria, já que apenas 15% poderiam ser beneficiados. Este plano ainda apresenta um grande problema: as chefias (em sua maioria cargos comissionados) concorrem diretamente com os agentes (que estão efetivamente em trabalho nas ruas da cidade). Corrigir distorções, melhorar salários e condições de trabalho, bem como valorização profissional é a pauta de reivindicação da categoria.


3. GUARDA MUNICIPAL DE CURITIBA EM GREVE
Iniciou no dia ontem (22/02) a greve dos guardas municipais de Curitiba. Mesmo com liminar da Justiça proibindo paralisação a categoria fez um ato de protesto que reuniu cerca de mil pessoas na Praça Tiradentes. A principal reivindicação da categoria é o aumento do piso salarial dos atuais R$ 710,00 que acrescido da gratificação de segurança de 50% chega a R$ 1.066 para R$ 1,3 mil correspondente ao salário base mais 50% de gratificação. Os trabalhadores também exigem a saída do secretário municipal de Defesa Social, Itamar dos Santos.

4. CRIMINALIZAÇÃO DA GREVE DOS GUARDAS MUNICIPAIS DE CURITIBA
A greve da categoria havia sito proibida de forma arbitrária pela Justiça. Em seu despacho, o Juiz Roger Vinicius, da 3° Vara da Fazenda Pública, considerou o serviço essencial e determinou a manutenção integral das atividades funcionais desenvolvidas pela categoria. Em caso de desobediência o Juiz estipulou multa diária de R$ 10 mil ao Sindicato da categoria (Sismuc) e autorizou o desconto de salários referente aos dias de paralisação.

5. CONTINUA GREVE DOS RODOVIÁRIOS DE BELO HORIZONTE
Continua a greve dos rodoviários da grande Belo Horizonte (MG). O balanço da greve, segundo o comando de greve da categoria é muito positivo. O Ministério Público do Trabalho (MPT) entrou com uma ação na justiça para que a categoria colocasse para rodar 50% da frota em caso de descumprimento a multa seria de R$ 30 mil diária. Os rodoviários reivindicam 37% de reajuste salarial, jornada de seis horas de trabalho e compensação das horas, manutenção da função de despachantes e cobrador, pois em algumas linhas este trabalho é feito pelo motorista.

6. RODOVIÁRIOS DE CURITIBA
Rodoviários da região metropolitana de Curitiba suspenderam o indicativo de greve da categoria. Em negociação realizada ontem (22/02) na DRT-PR foi fechado acordo que reajusta os salários em 4,5%, referente ao INPC do período de 2009 a janeiro de 2010 (4,36%), mais 0,14% de ganho real. Também ficou acordado o aumento de R$ 4 reais na cesta básica (era de R$ 95 e passou para R$ 99) e de R$ 1 real na assistência médica (passou de R$ 39 para R$ 40 reais). Ficou mantido o seguro de vida no valor de R$ 4,18. Com o reajuste o salário do motorista que era de R$ 1.180,00 passará para R$ 1.233,93. Já o salário do cobrador passará dos atuais R$ 669,20 para R$ 699,31. O sistema de transporte de Curitiba passa por nova licitação, na negociação ficou garantida a não dispensa dos funcionários que atualmente prestam serviços no setor. Em toda Curitiba, são 5,5 mil motoristas e 6 mil cobradores, vinculados a 27 empresas de ônibus.

7. FENATELL VERSUS Oi
A Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações (FENATELL) organiza provável greve nacional da categoria na empresa de telefonia Brasil Telecom. A greve pode ocorrer caso as condições de reaproveitamento dos funcionários das subcontratadas da Oi não sejam negociadas. Hoje a Oi tem 11 empresas responsáveis pela operação e manutenção da planta externa em todo o país, e a companhia pretende reduzir esse número para três empresas com o objetivo de diminuir seus custos em 20% o que significa demissão de trabalhadores. A FENATELL estima que o processo envolva 12 mil funcionários. O Sinttel-RJ está na vanguarda da mobilização. A FENATELL representa 630 mil trabalhadores em todo o país.

8. TRÉGUA ATÉ 08 DE MARÇO
A categoria de pilotos da companhia aérea Lufthansa fez deu uma trégua até o dia 08 de março, quando sindicato e empresa discutirão uma base para que as negociações em torno do acordo coletivo e salarial dos trabalhadores venha atender as reivindicações dos trabalhadores. Mesmo com a suspensão da greve alguns vôos ainda poderão ser afetados pela ‘operação padrão’ feita pela categoria.

9. GREVE DOS PROFESSORES EM SÃO PAULO
Os trabalhadores em educação do estado de São Paulo reunidos no Conselho de representantes da APEOESP aprovaram indicativo de greve da categoria a partir do dia 05 de março por tempo indeterminado. No dia 27 de fevereiro serão realizadas reuniões dos representantes de escolas nas SUBSEDES do Estado e no dia 04 de março ocorrerão assembléias regionais. Os educadores exigem reposição de perdas salariais, melhores condições de trabalho e o fim do assédio moral.

10. SUSPENSA GREVE DO DETRAN – DF
O Governo do Distrito Federal apresentou proposta, aceita pelo sindicato da categoria, que atende a reivindicação de incorporação das gratificações aos salários. Mesmo o projeto não deixando claro de que maneira e quando vai ser acrescido o abono, os funcionários resolveram voltar às atividades para melhor analisar o projeto que será votado na quarta-feira pelo poder legislativo.


CONTRIBUIÇÕES E NOTAS DEVEM SER ENVIADAS

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

NOTICIÁRIO SINDICAL 003/02/2010

1. TERMINOU O CARNAVAL
O ano começou “oficialmente’ nesta segunda-feira (22/10) para os trabalhadores da Grande Belo Horizonte (MG) é que desde a ZERO HORA de hoje as empresas que operam as linhas de ônibus da região metropolitana tiveram suas atividades paralisadas pela greve dos rodoviários. O mesmo ocorre com os servidores do DETRAN do Distrito Federal.

2. GREVE DE RODOVIÁRIOS DE BH
Começou nessa segunda-feira (22/02) a greve dos rodoviários de Belo Horizonte (MG) e região metropolitana. A greve atinge, segundo o sindicato, 90% da categoria. Os trabalhadores reivindicam 37% de reajuste salarial, jornada de seis horas de trabalho, compensação das horas, manutenção de despachante e cobrador, pois em algumas linhas este trabalho é feito pelo motorista.

3. RODOVIÁRIOS DE BH (2)
A categoria rodoviária também reivindica o fim da jornada dupla de serviço a famosa “dupla pegada”. O sindicato denuncia que alguns motoristas trabalham das 4h às 8h e das 16h às 20h. é alto o índice de desemprego na categoria, caso a categoria conquiste às 06 horas de trabalho, como mínimo, garante o sindicato, se abriria mais um posto de trabalho.

4. RODOVIÁRIOS DE BH (3)
O Ministério Público do Trabalho (MPT), entende que os trabalhadores cumpriram o dispositivo legal que obriga a comunicação da greve com 72 horas de antecedência e que, portanto, ainda não pode intervir no movimento. “O MPT não pode atropelar as negociações entre patrões e empregados”, afirmou o procurador Eduardo Maia Botelho.

5. SINDFLORA
O Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores nas Áreas de Reflorestamento e Carvoejamento e Beneficiamento de Madeira, ligada a Conlutas, está solicitando apoio político e financeiro do movimento sindical combativo. Desde a última quinta-feira (18/02) os trabalhadores, através de seu sindicato, estão enfrentando a patronal, a COPENER FLORESTAL/BAHIA PULP S/A possui 600 trabalhadores em sua base. O sindicato tem uma base de 12 mil trabalhadores, distribuído em 22 municípios. Mensagem de apoio e solidariedades podem ser enviadas para: sindiflora1@yahoo.com.br

6. COMEÇA A GREVE DO DETRAN DO DISTRITO FEDERAL
Servidores do Detran do DF entraram em greve a partir desta segunda-feira (22/02). De acordo com o sindicato da categoria 100% dos agentes do órgão aderiram ao movimento. A principal reivindicação dos trabalhadores é o cumprimento de um acordo firmado com o governo do DF, em novembro de 2009, quando os servidores tinham paralisados suas atividades. Nesse acordo ficou acertado um reajuste salarial de 6%, além de reajuste no vale-alimentação que passou de R$ 18 para R$ 23 reais por dia e único ponto do acordo cumprido. O GDF se propôs à época enviar para o legislativo projeto extinguido a Companhia Metropolitana de Transito (CMT) que não foi cumprido.

7. INCORPORAÇÃO DE GRATIFICAÇÕES
A categoria além de exigir o cumprimento do acordo agora exige a incorporação de gratificações aos salários o que geraria um aumento de 10% a 20% na remuneração dos trabalhadores. São duas as gratificações recebidas pelos servidores. Uma delas, a de risco e dedicação exclusiva, é destinada aos agentes que atuam nas ruas e gira em torno de R$ 2,3 mil. A outra, de desempenho e produtividade, é paga aos servidores administrativos, também no mesmo valor.

8. PILOTOS DA LUFTHANSA ENTRAM EM GREVE
Começou nessa segunda-feira, a greve dos pilotos da companhia alemã aérea Lufthansa. A greve deve levar ao cancelamento de 1200 vôos diários dos seus 1800 em todo o mundo. No Brasil a empresa opera dois vôos diários, um de partida e um de chegada, entre São Paulo e Frankfurt. Dentre as reivindicações do Sindicato (Cockpit) está a extensão do reajuste salarial aos trabalhadores que exercem suas atividades funcionais no exterior. Segundo o sindicato patronal os prejuízos podem ser de 100 milhões (US$ 136 milhões).

9. JUDICIÁRIOS DO PARÁ
O SINJEP-PA está convidando todo o movimento sindical do Estado do Pará para a realização de um ATO PÚBLICO no dia 24/02 às 10h, em frente o Tribunal de Justiça do Estado na Av. Almirante Barroso. Segundo a entidade o Presidente do Tribunal de Justiça apresentou Projeto de Lei n° 01/2010 no dia 22/12/2009, aumentando a jornada de trabalho da categoria para 7 horas diárias (35 horas semanais) sem nenhuma contrapartida financeira.

10. ATO CONTRA O REAJUSTE DAS TARIFAS DE ÔNIBUS EM SÃO PAULO
Ocorrerá na quinta-feira (25/02) às 16h30 no Teatro Municipal próximo ao Metro do Anhangabaú, ATO PÚBLICO contra o reajuste das tarifas de ônibus na cidade de São Paulo. A mobilização está sendo convocada pelas entidades sindicais ligadas a Conlutas, Intersindical, MTST e pela Rede Contra o Aumento das Tarifas que organiza diversas entidades dos movimentos sociais.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

NOTICIÁRIO SINDICAL 002/02/2010

LICENÇA-MATERNIDADE DE SEIS MESES PODE VIRAR LEI
1. AGORA VAI

A Comissão especial da câmara aprovou, na quarta-feira (09/02), a inclusão na Constituição da licença-maternidade de seis meses. Atualmente, a licença maternidade é de quatro meses, mas já pode ser estendida para os funcionários de empresas que aderirem ao programa “Empresa-Cidadã”. A comissão aprovou a PEC 30/07 de autoria da deputada Ângela Portela (PT-RR), que foi ampliado para as mães que adotem crianças, mães trabalhadoras que contribuam com a Previdência Social, empregadas domésticas e trabalhadoras rurais.

2. AGORA VAI 2
O texto, uma conquista das mulheres trabalhadoras brasileiras, aumenta de cinco para sete meses a proibição de despensa arbitrária ou sem justa causa após parto, adoção ou obtenção de guarda judicial. Para se tornar constitucional, a ampliação da licença-maternidade tem de ser aprovada em dois turnos na Câmara e dois turnos no Senado. As entidades sindicais começaram a se mobilizar para transformar o 08 de março, dia internacional da mulher trabalhadora, como um dia de pressão nacional para que o projeto seja aprovado.

3. RODOVIÁRIO DO PARÁ
Os trabalhadores rodoviários de Ananindeua e Marituba (Pará), organizados no SINTRAM, começaram hoje (12/02) mobilização nas postas das garagens de ônibus para explicar à população sua pauta de reivindicação junto a patronal dos transportes. Maio é data-base da categoria, além da reposição da inflação do período, melhores condições de trabalho, redução da jornada de trabalho – sem redução de salários, manutenção das clausulas sociais, a categoria vai pedir 5% de reajuste real de salários, reajuste do auxilio-alimentação dos atuais R$ 260,00 para R$ 350,00, do auxilio clinica que sairia de R$ 19 mil para R$ 50 mil reais e recondução dos diretores do sindicato demitidos arbitrariamente pela patronal.

4. ELEIÇÕES DO SINTSEP-PA
Ocorreu na segunda-feira (08/02) as eleições do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Federal do Estado do Pará, a chapa UNIDOS PRA LUTAR (Conlutas) da atual direção da entidade e única a se apresentar no pleito obteve 1600 votos, 400 votos a mais da eleição anterior quando a CUT disputou as eleições.

5. SITRAICP MANTÉM GREVE DA CATEGORIA
Na tarde de ontem (11/2), os representantes do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada (Sitraicp) reuniram-se com diretores do Consórcio Novo Cenpes, um dos responsáveis pela obra de expansão do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Miguez, da Petrobras. Os trabalhadores não aceitaram a proposta da empresa para encerrar a greve iniciada no último dia 9 de fevereiro. A categoria reinvidica o pagamento de uma cesta básica ou auxilio-alimentação no valor de R$ 200,00 e o recebimento das horas extras integrais (100%)

6. TRABALHADORES DO CITI SE UNEM À GREVE DO NOVO CENPES
Os trabalhadores do Consórcio CITI (formado pelas empresas Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão e Mendes Júnior, entre outras) se juntaram ao movimento e também paralisaram suas atividades nesta sexta-feira, dia 12.

7. NOVA ASSEMBLEIA DEPOIS DO CARNAVAL
Os operários da construção do Consórcio Novo Cenpes farão nova assembléia no dia 18 para avaliar o que as empreiteiras irão oferecer para que os trabalhadores voltem às suas atividades. Vale destacar que o Consórcio Novo Cenpes conta com mais de 70 empreiteiras de vários estados (entre elas a Schahin Engenharia, OAS, Construbase, Construcap e Carioca Engenharia) envolvidas na construção do anexo.

8. OBRAS DA PETROBRAS NA UFRJ CONTINUAM PARALISADAS
Continua a greve no canteiro de obras da expansão do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Miguez (Cenpes), da Petrobras, na ilha da Cidade Universitária. Os operários, que iniciaram o movimento no último dia 9, reivindicam melhores condições de trabalho e salários isonômicos.

9. METALURGICOS DE VOLTA REDONDA
Está marcada para os dias 16 e 17 de março as eleições para o Sindicato dos Metalúrgicos de Volta Redonda, Sindicato dirigido pela CTB e que representa os trabalhadores da CSN, Volks, Peugeot e outras grandes do ramo. A Conlutas que compõe a chapa de oposição entrou na justiça para garantir a inscrição de sua chapa que foi negada politicamente pela comissão eleitoral.

10. UM BOM CARNAVAL
Depois da passagem da ala dos barões famintos e o bloco dos napoleões retintos, a vida volta ao normal.