segunda-feira, 4 de maio de 2015

PARANÁ: VERGONHA NACIONAL! PROFESSORES ESPANCADOS PELA TROPA DE CHOQUE DO GOVERNO BETO RICHA/PSDB.



Nesta quarta-feira, 29 de abril, assistimos indignados a ação bélica da PM do Paraná, a mando do governador Beto Richa/PSDB, contra professores, cerca de 200 pessoas foram feridas, 15 hospitalizados com ferimentos graves, crianças foram atingidas por gás lacrimogêneo, dez pessoas presas, sendo 7 dirigentes sindicais. A brutalidade da ação foi tão repugnante que, segundo o comando da própria PM, 17 policiais militares se recusaram a participar do cerco aos professores e também foram presos. Os professores do PR pela segunda vez são obrigados a entrar em greve para defender direitos previdenciários atacados pelas mudanças pretendidas pelo governo estadual. Paradoxalmente nove executivos presos na operação lava-jato no estado do Paraná em 2014 foram soltos da prisão, mostrando claramente a inversão de valores e a podre política que comanda o País.

O que está por trás da brutalidade da ação dos governos contra professores e contra todos os trabalhadores que se levantam para reclamar reajuste salarial, condições dignas de trabalho e manutenção dos direitos trabalhistas e previdenciários é o plano de ajuste que a ferro e fogo pretendem aplicar o triunvirato PT, PMDB, PSDB, que estabelece mais corte de verbas nas áreas sociais; redução de direitos trabalhistas, vide o PL4330 que generaliza a terceirização para todo o mercado de trabalho; demissões em massa e privatização.

Existe uma rebelião dos professores em todo o País, vários estados como PR, SP, PA, GO, PE, SC entre outros e inúmeros municípios brasileiros em que a educação está em greve. Mais que nunca a CNTE deve preparar uma greve nacional e as centrais sindicais, particularmente a CUT, deve romper com o governo Dilma e junto a Conlutas, Intersindical e outras centrais preparar uma GREVE GERAL NACIONAL.







Nós da UNIDOS PRA LUTAR fazemos um chamado aos sindicatos filiados à Força Sindical e demais centrais que apoiam, vergonhosamente, o projeto da terceirização, que atropelem essas direções patronais e paralisem a produção, os serviços públicos, parem os transportes, os canteiros de obra, paremos o país e ocupemos às ruas para derrotar o pacote de maldade contra nós trabalhadores que está em curso no plano de ajuste defendido pelo governo do PT/PMDB/PSDB junto com patrões. 

Cerquemos de solidariedade e apoio os professores do Paraná, exemplo de coragem para todos nós trabalhadores, a CNTE deve chamar uma ato nacional em Curitiba/ PR em apoio aos nossos mestres.




1.    ATO NACIONAL EM DEFESA DOS PROFESSORES DO PARANÁ!

2.    PUNIÇÃO AO GOVERNO SANGUINÁRIO DE BETO RICHA!

TODO APOIO À GREVE DOS PROFESSORES EM TODO O PAÍS!


3.    GREVE GERAL PARA DERROTAR O PLANO DE AJUSTE DO GOVERNO PT/PMDB/PSDB!






CST/PSOL - UNIDOS PRA LUTAR- VAMOS A LUTA!

RIO DE JANEIRO: PELA READMISSÃO DE BRUNO DA ROSA, CELIO VIANA E DEMAIS GARIS DEMITIDOS!

Chega de perseguição política na COMLURB!

A COMLURB demitiu Bruno da Rosa e Célio Viana, duas das principais lideranças das greves dos garis do Rio de Janeiro. Uma decisão que reflete o desejo do prefeito de acabar com a organização dessa categoria. Com essa demissão política, Eduardo Paes (PMDB) tenta destruir o novo sindicalismo combativo que está surgindo em meio às greves.

Há várias semanas denunciamos as perseguições contra os ativistas que estiveram à frente da greve; interditos proibitórios, inquéritos, fraude na eleição da CIPA de Piedade e transferências de local de trabalho. Infelizmente a direção do sindicato do Asseio nada fez contra essa perseguição política e abandonou os ativistas da greve.

Nada disso intimidou os trabalhadores. Nada fez recuar a combatividade da categoria. Reuniões por gerência mantiveram a união e a organização das lideranças grevistas. Isso assustou Eduardo Paes e Vinicius Roriz, por isso essa medida extrema.

Demitiram Bruno e Célio alegando faltas no período de greve, quando o acordo prevê inclusive compensação dos dias sem desconto no salário. Outra alegação foi atuação nos piquetes e atividades da greve, como se ainda estivéssemos nos anos de chumbo quando o livre direito de manifestação era considerado subversão. Outros ativistas também foram demitidos sob mesma alegação. Trata-se de uma atitude ditatorial de Eduardo Paes em claro desrespeito às leis trabalhistas e ao direito de greve, ferindo os direitos humanos e a dignidade do trabalhador. Uma prática rotineira na atual gestão, transformando nossa cidade numa “terra sem lei”. Arbitrariedades iguais são cometidas contra Professores, moradores de comunidades, etc.

Não vamos aceitar nenhuma perseguição política! Exigimos a readmissão de Bruno, Celio e de todos os demitidos. Nos próximos dias estaremos panfletando as principais gerências da COMLURB e coletando assinaturas por meio de um abaixo-assinado contra demissões e perseguições.

Nossa proposta é uma campanha unificada contra as demissões em conjunto com sindicatos, centrais sindicais, partidos e parlamentares de esquerda, entidades estudantis e organizações democráticas da sociedade.

Entendemos que os trabalhadores devem ficar alertas contra esses abusos, preparando uma nova mobilização da categoria. Por isso exigimos do Sindicato do Asseio uma assembleia geral de todos os trabalhadores da COMLURB. Exigimos da UGT, a central a qual o sindicato é filiado, que se some a essa campanha em defesa dos garis demitidos.

UNIDOS PRA LUTAR -   CORRENTE SOCIALISTA DOS TRABALHADORES/PSOL

MODELO DE MOÇÂO
PELA READMISSÃO DE BRUNO DA ROSA, CELIO VIANA E DEMAIS GARIS DEMITIDOS!
Chega de perseguição política na COMLURB!
O _________ (sindicato/entidade) repudia a decisão do presidente da COMLURB e do prefeito Eduardo Paes (PMDB) de demitir Bruno da Rosa e Célio Viana, duas das principais lideranças das greves dos garis. Trata-se de uma atitude ditatorial em claro desrespeito às leis trabalhistas e ao direito de greve, ferindo os direitos humanos e a dignidade do trabalhador.
Além disso, há uma evidente perseguição política contra Bruno, Célio e inúmeros outros ativistas que também foram demitidos: interditos proibitórios, fraude na eleição da CIPA de Piedade, transferências de local de trabalho. Um evidente prática anti-sindical.
Solicitamos a readmissão de todos os demitidos. Exigimos o fim das perseguições políticas a todos os trabalhadores que atuaram na greve.
Enviar para:

1)    Casa Civil da prefeitura do Rio de Janeiro,
Endereçada ao prefeito Eduardo Paes e ao vice-prefeito Adilson Pires:

2)    COMLURB

Endereçada ao presidente da Companhia, Vinicius Roriz: comlurb_pce@rio.rj.gov.br